• Home
  • |
  • Sobre
  • |
  • Vivendo e Aprendendo
  • |
  • Lifestyle
  • |
  • Beleza
  • |
  • Contato
  • 16 de novembro de 2018

    ANTES DE SE AMAR, QUE TAL ACEITAR O CORPO


        Esse post não é meu, mas uma tradução muito solta e livre de um texto e sobre todo um movimento falando de amar nosso corpo.
        Esse parece ser um grandessíssimo esforço: pular da insatisfação direto pro amor. Algumas pessoas vão naturalmente chegar em sentimentos neutros em relação ao corpo - um caminho no meio - entre se odiar e se amar. Como uma bandeira branca, um lugar de calma.
    Um problemão do “amor pelo corpo” (além de parecer inalcançável) é a demanda que cria para que mulheres regulem suas emoções e não só seus corpos. A pressão não parece diminuir, pelo contrário: supostamente a gente precisa ter uma autoestima à prova de bala. “Amar o próprio corpo” põe o foco no corpo - certo? mas os momentos mais felizes que a gente tem, não são exatamente os que a gente não tá nem pensando sobre o corpo?!
    No lugar da imposição (“ame seu corpo” no imperativo!), que tal uma abordagem mais realista e propensa ao sucesso: a gente tem o corpo que tem e pode aceitar isso que é nosso; esse corpo é uma parte essencial de quem a gente é.
    Se dispor a neutralizar as emoções em relação ao corpo, pode liberar toda a energia e atenção que a gente tipicamente devota à aparência e - no lugar, ter energia sobrando pra cuidar do que importa de verdade. A gente vive a vida através desse corpo, junto com ele — se a gente não consegue amar o próprio corpo, a gente precisa ser capaz de aceitar ou nunca viveremos a vida feliz, em paz.
    Essa ideia de que é possível estar em paz com o corpo que a gente tem, é libertador! E não é o caso de se negligenciar esse corpo, mas sim de estar conectada serenamente com ele e com as funções que ele desempenha.
    A gente pode se alimentar pra nutrir o corpo, e se exercitar pra celebrar o que ele é capaz de fazer - no lugar de se impor ginástica e dietas pra moldar, manipular as formas desse corpo. Uma virada da escassez pra abundância: -deixar de olhar pro que não se tem e então cuidar com carinho do que a gente já tem.

       Se ninguém é perfeito física ou emocionalmente, como todo mundo se apaixona por todo mundo o tempo todo? Pensa. Então chega de neura e bora se amar e se curtir😍
    Fonte: oficinadeestilo





























    2 comentários:

    1. Todo corpo é lindo! As vezes demora, mas a gente precisa se aceitar e aceitar nosso modelinho como ele é <3

      beijinhos
      Ellen Machado | www.desviearota.com.br

      ResponderExcluir
    2. Acho qualquer forma de se amar é válida e já é garantido a vitória, correr atras de padrões não te faz realmente feliz, agora sete-se bem, seja como for!

      ResponderExcluir

    © Carol Farias - 2018. Todos os direitos reservados.
    Layout e codificação: GLEICY HANER - DESIGNS E FOTOGRAFIA .
    Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo